DESEJO JACQUEMUS

Por @mdecastrocordeiro

Simon Porte Jacquemus pode parecer um estilista novato, mas sua marca homônima comemorou 10 anos no ano passado. O aniversário foi celebrado com um desfile que rapidamente se tornou icônico: uma passarela rosa pink no meio de um campo de lavandas no sul da França.

Não é difícil acreditar que as fotos do evento, que eram altamente “instagramáveis”, são replicadas até hoje nas mídias sociais. Coincidência ou nem tanto?

Analisando a carreira e a estética do estilista, fica claro que cada detalhe é muito bem pensado. Jacquemus conseguiu recriar um desejo que há muito tempo não se via na Moda.

Se você já folheou uma Vogue e se interessa pelo assunto, certamente já sentiu vontade de mergulhar naquelas páginas. E isso tudo acontece porque as revistas de Moda têm como papel principal despertar o interesse e o desejo no leitor. A partir daí, a vontade de fazer parte daquele universo é tão grande, que ele se prontificará a comprar uma blusa do editorial ou o batom dos guias de compras.

No entanto, com as publicações impressas perdendo forças, os veículos de comunicação e as marcas precisam se reinventar para se adaptar ao digital. Talvez o maior desafio seja competir com o grande número de imagens que vemos por dia. Somos bombardeados com tantas informações gráficas que acabamos não absorvendo nem metade do conteúdo que aparece em nossas telas. Como se destacar, então?

Sabemos que uma foto com uma modelo cheia de Photoshop não vende mais, simplesmente por não haver mais identificação por parte do consumidor. Felizmente, com as mudanças de comportamento e, até mesmo, de princípios, este tipo de propaganda perdeu força e a confiança do cliente.

Jacquemus, além de ótimo estilista, é um excelente marketeiro. Soube usar o timing correto: apareceu com todo um novo conceito para o mercado bem quando ele se encontrava carente de autenticidade.

Suas coleções são sempre compostas por peças simples, leves, com bons caimentos, confortáveis de vestir e de observar. As campanhas, então, não podiam ser diferentes: descomplicadas, sem grandes produções ou edições, com luz natural e autênticas.

Não demorou muito para os clientes se identificarem com a nova proposta da marca, bem diferente esta do que a maioria das concorrentes costuma oferecer: mais do mesmo.

Como se não bastasse, Jacquemus entendeu o nicho que estava entrando e rapidamente fez questão de firmá-lo. A estética instagramável alcançou diretamente os próprios produtos. A pequena bolsa Le Petit Chiquito viralizou de uma maneira tão absurda que foi impossível não questionar “mas, afinal, para que serve um bolsa de 5 centímetros?”

Em termos de praticidade, realmente, não adianta de muita coisa, mas estes meros 5 centímetros abriram muitas portas para Jacquemus: um produto simples, com um valor relativamente acessível se comparado a outras marcas de luxo, e extremamente instagrámavel.

E este é o segredo de Jacquemus: investir na simplicidade e inová-la para chamar atenção nas mídias sociais (maior meio de comunicação que há nos dias de hoje).

Vale muito a pena visitar o perfil do estilista! Aproveite para se inspirar em várias campanhas e fotos que ele vem fazendo durante a quarentena. Se muito bem feita, uma foto no chão da sua casa pode valer muito mais do que uma imagem produzida num estúdio qualquer e editada no computador.

Revisão: @kakakcastro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *