A MODA CONSCIENTE

Por @mdecastrocordeiro

Na semana passada, falamos aqui no blog sobre sustentabilidade. Mas, apesar de ser um assunto de grande relevância, ainda soa abstrato para muitas pessoas.

É fundamental cobrarmos mudanças das grandes empresas, mas isso ainda é um feito distante. Grandes decisões só serão tomadas com o tempo e com a necessidade: os consumidores terão que mudar primeiro.

Afinal, a maioria dos grandes empresários não tem essas transformações em sua lista de prioridades: mudar toda uma cadeia produtiva provoca muitos gastos. E, no sistema que o mercado se encontra, o lucro vem em primeiro lugar.

Como podemos fazer a nossa parte, então?

Primeiramente, precisamos ter a consciência de que toda ajuda é válida. Pode parecer que nossas pequenas atitudes não valem muito para um problema tão extenso, mas é assim que começamos a mudar toda uma mentalidade.  De que adianta reclamar das grandes empresas e suas ações poluentes se continuamos consumindo desenfreadamente?

O mercado, felizmente, já está se expandindo. Inúmeras marcas praticam o que ficou conhecido como “slow fashion”: um processo de criação mais lento, onde a produção da peça em si é bem mais importante que a pressa para vendê-la.

Contudo, resta um questionamento: precisamos de fato de tudo que consumimos? Mesmo que sejam peças ditas sustentáveis? De tecidos orgânicos, por exemplo?

A Moda é uma indústria com uma cadeia de produção muito longa e, por isso, é muito difícil sabermos se cada etapa – do fio à venda para o consumidor final – é, de fato, desenvolvida da melhor maneira possível. E quando descartada? Em quanto tempo será decomposta?

Todos estes questionamentos devem ser feitos com mais frequência, sobretudo na hora da compra. Para que estou comprando isso? Será útil de fato para mim?

Esta reflexão não é para apavorar, mas para influenciar as pessoas a repensarem a sua maneira de consumir. Afinal, uma blusa de fibra orgânica é uma boa escolha, mas não consumi-la se não há necessidade é melhor ainda.

Revisão: @kakakcastro

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *