Última noite de RMDI 2017: credibilidade é fator essencial em cases de sucesso

Por Thaís Silveira

As palavras da noite do último dia de talkshows do Rio Moda Discute Internacional 2017 foram verdade e reputação. O fundador do Instituto Rio Moda, Roberto Meirelles, ainda acrescentou mais uma ao abrir o encontro com uma reflexão sobre credibilidade. Todas as marcas dos debatedores, incluindo o Instituto, estabelecem uma relação de confiança com o cliente e esse é um dos fatores que fazem delas, cases de sucesso. Procuram ser verdadeiras e manter uma reputação confiável sempre.

A fundadora da basico.com, Dedé Bevilaqua , por exemplo, não gosta de responder o consumidor por email. Prefere ligar para que ele se sinta próximo da marca. O co-fundador da AMARO, Lodovico Brioschi, leva seu produto direto à clientela, sem barreiras no processo. E a CEO da JÜV Consulting, Melinda Guo, de apenas 18 anos, apresentou a empresa de consultoria feita de jovens para jovens da Geração Z, ou Gen Z, que compreende os nascidos entre 1996 e 2010.

A AMARO e a basico.com têm algumas semelhanças. As duas surgiram no mundo digital e se relacionam diretamente com o cliente. Brioschi explicou porque a AMARO é uma omnichannel: “Nós colocamos o consumidor no meio da experiência, sem obstáculos entre um canal e outro.” Assim, a fábrica da empresa é própria e não há distribuidores e representantes até o produto chegar às lojas. Além disso, tanto a AMARO quanto a basico.com desenvolveram a guide shop, que também foi apresentada no talkshow da noite: há vendedores, mas não existe caixa e nem estoque. O objetivo desse tipo de loja é que o cliente conheça a marca e se acostume com o serviço de e-commerce. Para Brioschi, o shopping vai continuar existindo, mas promoverá mais experiências do que propriamente compras.

A AMARO se baseia em três pilares: últimas tendências fashion, preços acessíveis e máxima conveniência. Brioschi ressaltou que os clientes que compram tanto em guide shop quanto online são mais numerosos do que os consumidores de apenas uma plataforma. Por isso, o omnichannel gera lealdade. O próximo passo da marca é oferecer retirada no guide shop no mesmo dia da compra. Dedé ressalta que um produto é, na verdade, todo o entorno do case: produção, entrega e atendimento.

A partir de um buraco que Dedé Bevilaqua identificou no mercado, a basico.com criou a “camisa perfeita”, há quatro anos. A estilista conta que a concepção do produto foi trabalhosa. “Demorei muito para chegar na camisa. A coisa mais simples foi também a mais difícil da minha vida, porque era a blusa nua e crua”. Preocupada com tecidos e cortes, ela foi para o Peru e encontrou o “melhor algodão do mundo”, o pima. Hoje, Dedé acompanha o processo produtivo dele. Além disso, ela criou uma tabela de modelagem vinda da alfaiataria, porque faltava um padrão de medidas na moda. Assim, foi possível chegar na tão sonhada camisa e se iniciou a história da basico.com.

A preocupação com um trabalho consciente acompanha a marca. Apesar de não se denominar uma empresa sustentável, a basico.com produz caixas retornáveis para entregar as mercadorias, que são feitas sem desperdício de papelão. Outra inovação são as sacolas para presente das lojas físicas, que viram vasos decorativos. Além disso, Dedé encontrou uma fábrica ideal para produzir jeans – o complemento para a “camisa perfeita”. Lá, 80% da água são reaproveitados. Alguns projetos também movimentam a marca, como o Cine basico: um cinema público em São Paulo que reproduz filmes clássicos em preto e branco. “O basico é quase uma agência”, definiu Dedé.

Na JÜV Consulting, a inovação de Melinda e dois co-fundadores foi olhar para um novo segmento (do qual eles fazem parte). Segundo a CEO, a Gen Z é heterogênea e influencia muito o mercado. “Nós somos a geração mais plural que já existiu. É difícil nos entender apenas com estatísticas”, comentou. Além dos consultores contratados, de 16 a 22 anos, a JÜV também desenvolveu o The Vine, uma rede de 500 colaboradores espalhados em mais de 38 países, que fornece mais informações aos clientes sobre a Geração Z. Alguns dos serviços da empresa incluem consultoria sobre mídias sociais e campanhas publicitárias e relatórios de feedback em moda, design, entretenimento, jornalismo, lifestyle, entre outros.

A companhia foi criada para quebrar barreiras e ser um canal de comunicação de jovens para jovens. O processo de contratação, por exemplo, não passa por entrevistas e provas convencionais. Melinda afirmou que eles tentam conhecer os candidatos em um nível profissional, mas também pessoal, e esse é um diferencial da empresa. “Vendo as mídias sociais e os anúncios, percebemos que eles não chamam a atenção do público desejado. Há esse buraco no mercado. Só entendendo o comportamento de um grupo é possível realmente atingi-lo”, resumiu.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *