Moda e Consumo Colaborativo

Por Pablo Dadécio

Fast-fashion, liquidações, Black Friday e infinitas etc. Que atire a primeira pedra  quem nunca ficou atiçado ao se deparar com um cartaz de SALE em uma vitrine de loja.

Com a globalização cada vez mais fervorosa, disseminando em real time todas as novidades e induzindo ao consumo desenfreado, torna-se cada vez mais difícil sair ileso das armadilhas do mundo contemporâneo.

Uma nova cultura vem surgindo e ganhando voz em escala mundial, entretanto. O consumo e a produção colaborativa já são uma realidade no Brasil. Em São Paulo, a iniciativa vem dando certo e ganhando cada vez mais adeptos. Como exemplo, temos a House of Bubbles, localizada em Pinheiros, na capital paulista. O projeto, desenvolvido pelo empreendedor Wolf Menk, tem como ideia, unir diferentes necessidades que, de certa forma, estão interligadas.

pablo-1

O espaço divide-se em uma roupateca (junção das palavras roupa e biblioteca), lavanderia, self-service e um bar. A roupateca funciona através de um plano de assinatura. Cem reais dão direto a uma peça por mês, duzentos reais dão direito a três e trezentos reais dão direto a seis peças. Entre os itens, estão disponíveis bolsas, acessórios, calçados e roupas, todos com a validade de dez dias de aluguel.

SONY DSC

 

O Enjoei é um outro exemplo de sucesso. A plataforma, que foi criada pela publicitária Ana Luiza McLaren em 2009, já atinge o número de 16 milhões de visitas por mês. A ideia surgiu quando Ana mudou-se para São Paulo e percebeu que não havia espaço suficiente para guardar todas as suas coisas. Ao invés de anunciar suas roupas e acessórios em sites como o Mercado Livre, ela decidiu, junto ao marido, reunir as peças em blog intitulado de Enjoei. Em pouco tempo, Ana começou a receber dezenas de e-mails diários de pessoas solicitando a inclusão no blog para que também pudessem vender. O sucesso foi tanto, que em 2012, Ana e seu marido optaram por deixar seus empregos para dedicarem-se exclusivamente ao blog.

pablo-3

No site, o usuário cria sua própria lojinha para colocar as mercadorias que já não quer mais a venda. Antes, o serviço destinava-se apenas a moda, porém, segmentos como decoração e tecnologia foram incluídos no portfólio do Enjoei.

 

Comments: 1

  1. Ana Carolina says:

    Excelente texto! Achei incrível a idéia da House of Bubbles!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *