Gestão de moda com responsabilidade social é tema do último dia de RMDI 2017

Por Thaís Silveira

Os novos comportamentos se refletem no cenário da moda por meio de marcas preocupadas com valores e consumo consciente. No último dia de Rio Moda Discute Internacional 2017, os convidados do talkshow nacional debateram a importância de uma gestão por trás das marcas que valorize pessoas. A Courrieros, do engenheiro de produção Alexandre Messina, é uma empresa de entregas realizadas de bicicletas para clientes como Reserva, Wollner, Cantão e Net Shoes que promove a qualidade de vida dos funcionários. A executiva Marta Machado é CEO e co-fundadora da See Now Buy Now, empresa de pronta-entrega que une a indústria com o varejo e também cuida de imagem, conteúdo e relacionamento. A gerente de produto de moda e jóia no Senac, Leana Braga, destacou tendências como o slow fashion, que se preocupa com a qualidade do produto, como influência para os novos empreeendedores.

Messina afirmou que a Courrieros não é só sobre sustentabilidade, mas também há um lado social. “Nós contratamos pessoas de todos as idades, homens e mulheres que tenham paixão pela bicicleta. É possível fazer isso como estilo de vida e, ao mesmo tempo, ganhando dinheiro”. Segundo ele, o entregador representa a marca, e o cliente só vai amá-la se o próprio funcionário também gostar dela. A ideia do negócio surgiu dos problemas que as entregas de moto causam. De acordo com Messina, um milhão e meio de motoboys estão em atividade no Brasil, o que gera toneladas de gás carbônico por dia. Além disso, eles causam poluição sonora, gastam muita gasolina e sofrem com alta taxa de mortalidade, já que, muitas vezes, não usam equipamento adequado. Na Courrieros, os funcionários tem carteira assinada e são realizadas reuniões com eles todo mês.

Marta também enxergou uma deficiência do mercado, mas com relação ao formato de comercialização na moda. Fundada há menos de um ano, a See Now Buy Now encurta a distância entre lojistas e indústria. A empresa, que já atende 30 marcas, também se direciona para o consumidor final – Marta citou um editorial realizado por eles sem modelos profissionais, que tratou sobre lifestyle de forma natural. Ela disse que a pronta-entrega funciona o ano inteiro, diferentemente dos pedidos, que têm marcos de lançamentos das coleções. Segundo a executiva, com a crise econômica e o poder das mídias sociais, criou-se o momento para a pronta-entrega, já que ela diminui os riscos para o lojista. Porém, a empresa também trabalha com marcas por pedido. O market place não vai deixar de existir, mas é preciso facilitar o momento da compra”, explicou.

Com uma visão educacional sobre o mercado, Leana pontuou os quatro pilares desenvolvidos pelo Senac no programa de capacitação de marcas Selo Molde: gestão, responsabilidade social, inovação e serviços. O projeto surgiu na 3ª edição do Veste Rio, em parceria com o Caderno Ela e a revista Vogue. Dez marcas novas foram selecionadas para participar do programa, que terá turmas comerciais no ano que vem.

Leana lembrou do case da Reserva como uma nova forma de se pensar no mercado. A marca desenvolveu uma guide shop, loja sem estoque e nem caixa, apenas com vendedores. O consumidor compra pelo e-commerce da marca e recebe o produto no mesmo dia, se ele for comprado até às 17h, pelas bicicletas da Courrieros. A empresa começou em São Paulo há cinco anos, mas Messina e um sócio trouxeram o projeto para o Rio. Hoje, eles atendem a Zona Sul, a Grande Tijuca, o Centro, a Barra e Niterói. Há um centro de distuibuição em Botafogo, para onde a maioria das entregas são levadas. Lá, 40 ciclistas ficam à espera das mercadorias. Um novo centro foi instalado na Barra, e, depois da solidificação dele, a Courrieros pretende expandir o caminho das bikes pela Zona Norte.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *